domingo, 1 de março de 2009

Um susto de desafio!

Um susto de desafio!

A Mena lançou-me um desafio que me fez recorrer ao baú da memória e encontrar de imediato aquelas situações que são inesquecíveis devido à intensidade das emoções despoletadas. Tratam-se de acontecimentos que me causaram um grande susto!


Ui! Que susto!

Regras:

1. Conta dois sustos que tiveste durante a tua vida, um em criança e outro em adulta/o.
2. Sobre um deves contar tudinho: princípio, meio e fim.
3. O outro deixas em suspenso, levando os participantes a descobrir o seu desfecho.
4. Colocar o link de quem te desafiou.
5. Desafiar pelo menos 5 amigas/os.
6. Atribuir um prémio ao primeiro participante que adivinhar o desfecho do susto.

1- O maior susto que apanhei na minha vida foi no dia 8 de Fevereiro de 2003, um solarengo e anormalmente quente sábado de Inverno. Ia a conduzir o meu carro novo, com apenas 3 meses, pelo IP4, a caminho de Vila Real. Pelas 15 horas, já só faltavam 7 quilómetros para o meu destino, dentro de aproximadamente 10 minutos já estaria nos braços do meu amor… Contudo, numa curva à direita, num ponto da estrada que tem 2 faixas de rodagem no mesmo sentido, um automóvel ao ultrapassar-me encosta-se perigosamente ao lado esquerdo do meu carro e, de repente, só vejo uma mancha cinzenta a tocar-me no retrovisor… numa tentativa de não ser mais abalroada, eu guino o carro mais para a direita, em direcção à berma da estrada… mas os acidentes têm mesmo os seus imprevistos e não previ que um pneu rebentasse quando alcançou a rede de protecção (a rede serve para impedir que as pedras resvalem pela encosta da montanha). De imediato perdi a direcção, o meu carro foi projectado para a encosta, atravessei todas as faixas de rodagem na diagonal e capotei no outro lado da estrada! Foi tudo tão rápido! Tudo isto aconteceu em segundos!! os meus olhos pararam de registar, só os meus ouvidos gravavam o som do metal a retorcer... Quando o carro parou, eu ainda não tinha noção que estava tudo de pernas para o ar… só sabia que estava tudo muito estranho… Com uma força e calma interiores (que só podem ter sido desígnio divino), libertei-me do cinto de segurança, rastejei no tejadilho do meu carro e tentei abrir a porta. Não consegui à primeira, mas não me saía da cabeça “Atestei o depósito com gasolina, tenho de sair antes que isto expluda!”. Quando consegui encontrar uma porta que abria, ainda tive o sangue frio de espreitar antes de sair! E sabem porquê? Hoje até me dá vontade de rir mas, como não sabia em que ponto da estrada estava, eu tinha medo que um carro me pudesse atropelar quando eu saísse do meu! Isto são mesmo coisas de uma mente em pânico: tinha acabado de capotar, mas estava com medo de ser atropelada! Quando saí do carro, verifiquei que estava na berma da estrada “Bonito, ao menos não incomodo o trânsito…” Afastei-me do meu carro e fiquei a olhar incredulamente para ele “Mas como é que isto foi acontecer? E como é que saí daquele monte de chapa?” . Entretanto, já estava um casal ao pé de mim a fazer-me perguntas e a avisar-me que já devia estar a chegar a ambulância. Enquanto eu estava a telefonar para a minha irmã e para o meu namorado (não tive coragem de contar logo à minha mãe), o carro da Brigada de Trânsito chegou. Os 2 guardas dirigiram-se apressadamente para o carro, à espera de encontrarem nele o condutor encarcerado… “Eu é que sou a condutora. Estou bem. Não tenho nada partido e não sinto quaisquer dores.” Perante o olhar surpreso dos guardas, um deles informou-me que, mesmo assim, eu tinha de ir para o hospital.
Eu estava bem, tinha sobrevivido com apenas umas escoriações e com uns feios hematomas nos sítios onde o cinto de segurança tocava no meu corpo…
Mas querem saber o que aconteceu ao outro condutor? NADA! O primeiro casal que me veio socorrer viu um automóvel cinza-prata parado no outro lado da estrada, mas que se pôs em marcha quando eu saí do carro. Ninguém tirou a matrícula porque estavam mais preocupados com quem ia no carro acidentado.
Este foi o maior susto da minha vida mas, ao mesmo tempo, também foi o dia em que Deus me deu uma segunda oportunidade… Ele e o meu anjo da guarda nunca me abandonaram e, por isso, hoje as únicas sequelas que guardo são as recordações daquele dia!

Passo agora a relatar um outro susto, não foi de vida ou de morte, mas deixou-me sem fôlego. Querem adivinhar o que aconteceu? Então, leiam e puxem pela lógica (sim, neste caso não é necessária muita imaginação)...

2- Quando era mais criança era costume ir com as minhas irmãs e as minhas primas passear para um monte que havia ao pé de minha casa. Na altura era um sítio agradável para passear, não tinha silvas nem mato amontoado porque vivia lá um casal de lavradores que o limpava regularmente. Íamos para lá apanhar flores silvestres e pinhas para a lareira da minha avó. Num dia em que já vínhamos para casa, partimos da clareira e seguimos em fila indiana por um corredor formado por pinheiros bravos; mas, de repente, a minha irmã mais velha, que ia já mais à frente, pára… dá meia volta… larga as pinhas e corre a gritar ao nosso encontro! Desatámos a rir porque pensámos que era alguma brincadeira da sua parte (ela tinha o hábito de nos assustar). Deixámo-la a correr em sentido contrário e prosseguimos caminho… até que começámos também a correr de volta para a clareira! Com os meus 8 anos, eu tinha o coração a bater tão aceleradamente que nem um grito consegui soltar! O que provocou esta reacção?

Para reviverem e partilharem os sustos da sua vida, convido as seguintes meninas:

Joana

Habiba

Caloca

Juliana (Polêmica)

Sabrith


........................................................................................................

Desafio 6 verdades e 3 mentiras

Neste desafio o miminho vai para a Habiba, que acertou nas minhas 3 mentiras. Eram elas:

A minha estação favorita é a Primavera. - Não, não é a Primavera, é o Inverno!

Gostava de ter cabelo loiro. - Acho que o loiro não me ia favorecer, prefiro tons quentes e mais escuros. Afinal, o nome do blogue já diz tudo, não é?

Quando era criança, era uma “maria-rapaz”. - Eu era muito menininha, daquelas de vestidinho, ganchinhos no cabelo, com bonecas e livros a tiracolo.

Mas quero dar os parabéns a todas as meninas que tentaram, porque acertaram em pelo menos duas mentirinhas!

7 comentários:

Joana disse...

Adorei!!! O teu relato dos dois sustos mostra que tens MESMO de escrever o teu livro!!!!!!
Depois publico e tento adivinhar o fim do segundo.
Um beijo.

Carla disse...

Olá!
Costumo passar por aqui de vez em quando para ver as novidades e hoje apeteceu-me deixar-te uma palavrinha...não sei se posso participar, pois não fui umas pessoas a quem passaste o desafio, mas apetece-me dizer o que me lembrei...é que também já desatei a correr...por causa de uma cobra...será?!

Fica bem, beijinhos!!!

Sabrith disse...

Ai ai... não me arrisco a adivinhar o que aconteceu no seu segundo relato.
QUanto às mentiras, por pouco eu acerto.
Tenho um desafio para vc também Brunette, está aqui:

http://frufrusdasabrith.blogspot.com/2009/03/mikems-site-regala-este-paquete.html

Boa Semana
Bjokas!

Habiba disse...

ola querida... fico muito feliz por ter acertado nas tuas mentiras, eheh!
Foi 1 desafio bastante engraçado que deu para nos conhecermos melhor.
Beijinhos
Ângela

Habiba disse...

querida, em relação ao desafio dos sustos adorava participar mas eu não me recordo assim de nenhum susto que tenha apanhado!
Como posso resolver isto? ehehe

Beijinhos

Mena disse...

Olá!
Que susto, hem!
Será um animal morto?
Não acertaste no que me assustou, ainda podes continuar a tentar
Já postei as minhas mentirinhas, passa lá e vê quem foram as vencedoras.
Bj
Mena

Joana disse...

O que era??? Um cão, um monstro, ou um namorado???
Se calhar é por causa disso que andas sempre com sonhos esquisitos de perseguições!!!!
Um beijinho.